Criei o limitador e batidas no portal acabaram.

Desde que criei o limitador de altura, nunca mais um caminhão se chocou contra o portal. E olha que o prédio escapou de muitos acidentes, às vezes três por semana. As carretas vêm decididas a atravessar a abertura embaixo do prédio, como fazem os carros de passeio. Só que aí vem a explosão da carroceria batendo no limitador – um artefato de lata galvanizada. O motorista sempre para, geralmente muito assustado. Desde 2006 também sou eu que faço a manutenção do limitador. Emendo as correntes que arrebentam, desamasso as partes afetadas e ponho um novo quando não dá mais recuperá-lo. E mesmo o material de reposição sou eu que providencio, sem custos para a Prefeitura. É um trabalho voluntário, que faço com gosto.

Um cartão postal

A recompensa vem quando vejo os turistas se deleitando com esse cartão postal, tirando fotos, filmando e obtendo informações no balcão de atendimento. Pois quando o portal fechava por causa das batidas, quem perdia era o turismo da cidade.

Insistiram e voltei a cuidar do limitador