A lei que acabou com o transporte clandestino de passageiros

Até pouco tempo atrás, o transporte clandestino de passageiros era um negócio que prosperava vigorosamente. Motoristas que não tinham licença dada pela Prefeitura e não submetiam os carros a vistorias específicas e nem davam as referências pessoais, se apresentavam para fazer passeios pela cidade com os turistas e levá-los nas viagens rodoviárias. É uma situação que além de ilegal, colocava em risco a segurança os passageiros. Afora isso, tinha-se uma concorrência desleal com os taxistas, uma classe formada por profissionais experientes, que dirigem veículos vistoriados, possuem licença e têm as referências de estarem ligados a um ponto que todos conhecem. Para pôr fim a essa atividade ilegal criei a “lei da placa vermelha”. Por esta lei, os hotéis passaram a afixar uma placa na recepção que orientava os hóspedes a só embarcarem em veículos de placa vermelha. Foi o fim do transporte clandestino.

Acabando com o transporte ilegal